Espanha, Viagem

Santiago de Compostela – ESPANHA

05/02/2017
IMG_3169

Santiago de Compostela é uma cidade espanhola que fica na província de A Coruña. É a capital da Galiza e tem uma população de aproximadamente 95 mil habitantes. Por sua beleza urbana e sua milenária rota de peregrinação, o Caminho de Santiago, foi declarada Patrimônio da Humanidade pela Unesco. A cidade também é conhecida pelos frutos do mar e por ter uma noite agitada devido aos mais de 30 mil alunos da Universidade de Santiago de Compostela.

É praticamente impossível falar da cidade sem citar o Caminho de Santiago. O Caminho é uma rota de peregrinação que surgiu no século IX e a cada ano milhares de peregrinos o percorrem a pé, de bicicleta ou a cavalo. A meta final do Caminho é a Catedral de Santiago de Compostela.

Começamos nosso passeio pela Plaza del Obradoiro, principal e mais famosa praça da cidade. Ali está a catedral, o Hostal de los Reyes Católicos (hoje em dia é um hotel, mas antigamente era um hospital para os peregrinos), o Colegio de San Jerónimo (sede do reitorado da Universidade), o Palacio de Rajoy (sede da Câmara Municipal de Santiago) e também Palacio de Gelmírez (residência episcopal). No centro da praça se encontra o KM zero de todos os Caminhos de Santiago, que são vários, sendo o mais tradicional, o Caminho Francês.

IMG_3169

Catedral de Santiago de Compostela

IMG_3181

Hostal de los Reyes Católicos

IMG_3194

Palacio de Rajoy

Segundo a tradição, o túmulo do apóstolo Santiago (Tiago o Maior) está na catedral, o que converteu o templo em um dos principais destinos de peregrinação. No século I já existia no local um mausoléu, onde se acredita que o apóstolo foi enterrado, depois foram construídas outras igrejas menores no local e entre 1075 e 1211, foi construída a catedral.

A porta da “frente” da catedral estava fechada, então nos dirigimos até a fachada sul, que fica na Plaza de Platerías, para podermos entrar. A praça tem esse nome por causa das oficinas de ourives situadas ali desde a Idade Média.

Da Plaza de Platerías também podemos observar a Torre del Reloj ou La Berenguela. A torre tem mais de 70 metros de altura e foi construída no século XIV, como torre de defesa. O maior sino da catedral fica na torre e pesa seis toneladas e o nome “Berenguela” foi uma homenagem ao arcebispo Berenguel de Landeira, que era o arcebispo quando terminaram de construir a torre.

Pela Puerta de Platerías entramos na catedral. Lembrando que a entrada é grátis, mas para visitar o museu, as tribunas e o telhado, é cobrado. Para saber os preços e mais informações sobre essas visitas, clique aqui.

Todos os dias, às 12 h e às 19h30min tem a Missa del Peregrino, onde se diz o nome, a nacionalidade e de onde cada peregrino que chegou à cidade nas últimas 24 horas veio. Para os horários de todas as missas, clique aqui.

Além de apreciar a arquitetura lindíssima da catedral, você pode visitar o túmulo do apóstolo Santiago, dar um abraço (isso mesmo!) em uma imagem do santo (não pode filmar nem fotografar) e também apreciar o famoso Botafumeiro, um incensário que em algumas ocasiões específicas “balança” com a ajuda de cordas pela nave da catedral. Para fazer esse movimento de balanço é necessário oito homens, conhecidos como “tiraboleiros”, que são treinados especialmente para esse função. Clique aqui para ver como é a cerimônia.

IMG_3221

O Botafumeiro (do lado esquerdo da foto) da Catedral de Santiago de Compostela.

Saindo da catedral passamos pela Plaza de la Quintana. Essa praça é dividida em duas partes: a parte inferior, chamada de Quintana de Mortos porque ali ficava um cemitério até o ano de 1780 e a parte superior, Quintana de Vivos.

IMG_3240

Plaza de la Quintana

Saímos caminhando sem rumo, mas com fome e com intenção de chegar no Mercado de Abastos para comer polvo porque eu estava com ideia fixa de comer polvo já tinha alguns dias… 🙂

No caminho passamos pelo Monasteiro de San Martín Pinario que foi um mosteiro beneditino fundado no século X. Deixou de ser mosteiro no séc. XIX e agora é Seminário Maior, residência universitária e no verão tem a função de hotel. Nas instalações do antigo mosteiro também fica a Escola de Trabalho Social e os estudos da Teologia e outras dependências administrativas que estão ligadas à igreja de San Martín Pinario. A entrada para a igreja + museu custa 3 euros. Para mais informações, clique aqui.

IMG_3243

Mosteiro de San Martín Pinario

Encontramos também a Plaza de Cervantes, que no século XII era um local de reuniões populares.

colagem

Busto de Miguel de Cervantes e Igreja de San Bieito do Campo, na Praça de Cervantes.

Chegamos no Mercado de Abastos, o segundo lugar mais visitado da cidade (o primeiro é a catedral), abre de segunda a sábado, das 7 as 15h. O mercado foi aberto em 1873 e é composto de várias bancas que vendem produtos frescos e artesanais. Nós compramos um prato de polvo com uma moça (brasileira!) chamada Jenifer e fomos até um bar chamado Mariscomania para comer. Mas como assim comprar a comida e levar para o bar?! É assim mesmo que funciona… 🙂 Outra opção é comprar frutos do mar frescos no mercado e levar até o bar para que cozinhem pra você. É cobrada uma taxa por pessoa para que preparem a comida e eles vendem pão, bebida, café…

IMG_3254

Mercado de Abastos

IMG_3253

Mariscomania

IMG_3251

De pancinha cheia e feliz por ter comido o polvo que eu tanto queria, fomos caminhar para fazer digestão. Fomos até o Parque de San Domingos de Bonaval, onde antigamente ficava o Convento de San Domingos de Bonaval (o edifício hoje em dia abriga o Museu del Pueblo Gallego). O parque foi inaugurado em 1994, quando reabilitaram a área do convento e cemitério. O acesso principal fica entre dois museus, o do Povo Galego e o Centro Gallego de Arte Contemporáneo.

IMG_3272

Vista do Parque do Bonaval.

Depois de caminhar um pouquinho pelo parque deu vontade de tomar um café e comer um pedaço de Tarta de Santiago, uma sobremesa tradicional da cidade. Eu tinha lido na internet que a melhor tarta era a da Pastelería Mercedes Mora, mas chegando lá descobrimos que eles não vendem pedaços, apenas a tarta inteira, e não queríamos uma inteira! 😀 Ficamos decepcionados, mas não desistimos, fomos atrás de um pedaço de tarta!! Não achamos, mas encontramos uma versão mini na Pastelería Miguez. Pegamos nossa tortinha e fomos para o Parque da Alameda para saboreá-la. 🙂

O Parque da Alameda é o parque mais emblemático de Santiago de Compostela. Dele se tem uma vista linda da cidade e da catedral. No parque fica a Igreja de Santa Susana, do século 12. Passamos por ela mas infelizmente estava vandalizada, com alguns grafites e janelas quebradas. Tenho peninha quando vejo um lugar antigo e com história nessa situação.

São várias esculturas espalhadas pelo parque, mas a que mais chamou minha atenção foi a de duas senhorinhas, a Maruxa e a Coralia, ou Las Dos Marías, que foram duas irmãs muito populares em Santiago de Compostela. Elas costumavam sair super maquiadas e com roupas coloridas, ao redor das duas da tarde (horário que os universitários saiam para comer) para flertar com os jovens pelas ruas do centro histórico da cidade.

IMG_3284

Maruxa e Coralia

E nossa visita a Santiago de Compostela terminou no Parque da Alameda, mais especificamente no “eucalipto do amor”, uma árvore com mais de 40 metros de altura e 120 anos de idade. Dali se tem uma vista panorâmica da cidade e o banco que tem ao redor da árvore é um convite para sentar acompanhado (ou não!) e apreciar os edifícios e a catedral.

IMG_3298

Mapa da nossa rota por Santiago de Compostela:

Vídeo:

VEJA TAMBÉM

Sem Comentários

Deixe uma Resposta